Rabello pode ser condenado por tráfico de influência

Data:

Compartilhar:

O apresentador e ex-deputado estadual Walter Rabello poderá ser condenado pela Justiça por tráfico de influência (artigo 322 do Código Penal). Ele foi denunciado pelo Ministério Público Estadual por participar da organização do empresário Júlio Uemura, acusado de chefiar uma estrutura que aplicava golpes financeiros, ameaças e extorsão.

A denúncia foi aceita pela Justiça e a ação está sob responsabilidade do juiz José Arimatéa Neves Costa, da 15ª Vara Criminal de Cuiabá. Se condenado, Rabello poderá cumprir de 2 a 5 anos de reclusão e multa.

Segundo denúncia do Gaeco (Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado), Rabello exercia influência "política em benefício do grupo criminoso liderado" por Uemura. Na denúncia, o Gaeco afirma que Rabello possui estreita relação com Uemura, a quem "pede benção e chama de ‘chefe' e ‘padrinho'".

Empréstimos

Em um dos telefonemas interceptados pelo Gaeco, o ex-deputado (cassado por infidelidade partidária) afirma a Uemura que levará uma situação, referente a uma suposta perseguição de um fiscal contra o grupo, ao conhecimento do secretário de Estado de Fazenda.

Em outras conversas, Rabello deixa claro que recebe empréstimos financeiros de Uemura, doação de cadeiras de roda para o seu programa na TV, além de ter empregado pessoas em seu gabinete, quando deputado, indicadas pelo empresário.

"Nesse contexto, foram interceptadas conversas telefônicas que deixam evidente, isso sem sombra de dúvida, a troca de gentilezas entre o deputado Wlater Rabello e o seu padrinho Júlio Uemura", afirmou.

Segundo o Gaeco, numa das conversas, ocorrida em 11/12/2007, às 11:14 horas, Rabello, após solicitar apoio financeiro, ressalta que colocará à disposição do empresário uma vaga de assessor direto em seu gabinete na Assembléia Legislativa.

Em outro diálogo, no dia 19/10/2007, às 11:15 horas, Rabello, após relato sobre a sua vontade de governar Cuiabá, afirma que Uemura "é quem irá administrar" a capital.

O juiz Arimatéa foi procurado para falar sobre a ação, mas sua assessoria informou que ele está em Santo Antônio de Leverger, onde atua como responsável pela Comarca local.

O apresentador Walter Rabello não foi localizado, através de seu celular, para falar sobre o assunto.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

PROPOSITURAS

Notícias relacionadas