Procurador é contrário a julgamento de médica em júri popular

Data:

Compartilhar:

rocurador de Justiça Jorge da Costa Lana é contra julgamento em júri popular da médica Letícia Bortolini, que matou atropelado o verdureiro Francisco Lúcio Maia em 2018. Manifestação foi apresentada à Justiça por meio de parecer emitido na tarde de quarta-feira (3).

 

No documento, o procurador se manifestou a favor da prescrição apontada pela defesa da médica e mostrou desfavorável à qualificadora de “perigo comum”, inicialmente imputada contra Bortolini.

 

Isso porque, segundo o procurador, o crime sendo considerado culposo e não mais doloso, o “perigo comum” deixa de fazer jus, uma vez que não “o agente não quer o resultado lesivo, apenas assume o risco de produzi-lo, anuindo com sua ocorrência”.

 

“Por todo o exposto, o parecer é pelo improvimento do recurso em sentido estrito interposto pelo parquet. Alternativamente, manifesta-se pelo acolhimento da preliminar de prescrição arguida pela defesa em sede de contrarrazões, bem como pelo afastamento da qualificadora do “perigo comum”, considerando a incompatibilidade com o dolo eventual arguido”, disse.

 

Parecer do procurador foi dado após decisão proferida em agosto de 2022 pelo juiz Flávio Miraglia da 12ª Vara Criminal. Na data, magistrado pronunciou a ré, o que, na prática, determinava que Bortolini seria julgada em júri popular.

 

Contudo, posteriormente, recurso interposto pela defesa da médica converteu a decisão inicial, tornando o crime doloso para culposo. Neste contexto, questionado sobre os fatos, o procurador se mostrou a favor da prescrição alegada pela defesa.

 

Em seu perfil no Facebook, a filha do verdureiro divulgou publicação lamentando o parecer do procurador. Na postagem, a mulher relembrou a morte do pai e se mostrou indignada com a decisão da Justiça pela conversão do crime de doloso para culposo.

 

Caso

O verdureiro Francisco Lúcio Maia foi atropelado pela médica no dia 14 de abril de 2018, na avenida Miguel Sutil, em Cuiabá.

 

Imagens de câmeras de segurança da avenida mostram o momento em que o homem é arremessado contra uma árvore. A investigação aponta que a médica estava em alta velocidade e dirigia sob efeito de álcool.  

 

Laudo divulgado em março de 2022 concluiu que ela dirigia a 101 km/h quando atingiu o verdureiro. O homem morreu no local.  

 

Horas depois, já no dia 15 de abril, a polícia encontrou a médica e o marido na casa de familiares. Ela se negou a fazer o teste do bafômetro e garantiu que não tinha bebido nada.  

 

Ambos foram levados para a delegacia, onde prestaram esclarecimentos e liberados em seguida.  

 

Ela afirmou que autorizou a advogada a dar todo suporte à família da vítima, mas os familiares do verdureiro alegam que não receberam qualquer assistência.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Notícias relacionadas

Homem leva facada no peito e morre ao tentar separar briga de casal no interior

Ana Júlia Pereira/GDDiones Oliveira da Silva, 27, morreu ao tentar separar uma briga de casal no bairro Bordas...

BEBÊ DE 1 ANO QUE ESTAVA NA CASA ABRIGO DA CRIANÇA SOFRE PARADA CARDIORRESPIRATÓRIA E MORRE

Repórter: Larissa FerreiraImagens: Geovane Costa https://www.youtube.com/watch?v=JphIHB9Igyw

Veja o Vídeo: PREFEITO MANINHO DA POSSE A 48 NOVOS SERVIDORES ATRAVÉS DO CONCURSO PÚBLICO

A solenidade de posse de 48 servidores aprovados no concurso público realizado pela prefeitura municipal de Colíder, foi...

veja o vídeo: SINDICATO RURAL DE COLÍDER REALIZA O LANÇAMENTO DO SHOW RURAL 2024

As palestras já estão definidas e trarão nomes conhecidos no agronegócio para engrandecer ainda mais o evento, que...