Taques avança rumo ao Senado e deverá superar Antero e Abicalil

Data:

Compartilhar:

Ele iniciou a campanha empacado nas pesquisas de intenção de voto, mas nas últimas duas semanas começou a crescer de tal modo que, pelas projeções internas, deve aparecer nas próximas sondagens em segundo lugar na corrida ao Senado. Os concorrentes Antero de Barros (PSDB) e Carlos Abicalil (PT) já podem colocar as barbas de molho. Pedro Taques (PDT) caiu nas graças do eleitorado. Como cada eleitor vota em dois para o Senado, o nome do ex-procurador da República se tornou opção de voto para eleitores simpáticos a todos os grupos e candidatos. Nessa onda Taques, até mesmo o ex-governador Blairo Maggi, hoje líder absoluto nas pesquisas de intenção de voto, corre risco de perder o "trono" até 3 de outubro. Em conversa com correligionários, Maggi se mostra preocupado porque as amostragens, tanto quantitativas quanto qualitativas, identificam crescimento do candidato do PDT.

   Pesquisas qualitativas revelam, por exemplo, que praticamente 80% dos eleitores de Maggi pretendem dar o segundo voto para Taques. De outro lado, mais de 50% dos que se mostram simpáticos ao nome de Taques revelam o desejo de creditar o segundo para Maggi. O ex-senador Antero vinha numa campanha polarizada com o petista Abicalil. Ambos passaram a trocar farpas. O tucano exibiu filme no horário eleitoral, acusando o deputado se votar a favor do aborto. Abicalil revidou, aproveitando uma pesquisa do Ibope que o apontava em segundo lugar na disputa à senatória para dizer que estava sendo atacado por "candidatos desesperados".

    Restam 17 dias para as eleições. O quadro majoritário está indeciso, tanto para a cadeira de governador quanto para as duas vagas de senador. Maggi explora os feitos dos 7 anos e 3 meses no comando do Estado para ganhar fôlego na corrida ao Congresso Nacional. Antero recorre ao período em que foi senador para convencer o eleitor. Abicalil prega harmonia com o governo Lula e com a presidenciável Dilma Rousseff. Já Taques segue uma linha dura de combate à corrupção, lembra de escândalos e defende mudanças nas leis. Está atraindo eleitores desiludidos com a política.

   A briga pelo Paiaguás se afunilou ao governador Silval Barbosa, que busca a reeleição com um palanque de 11 partidos, e o empresário Mauro Mendes (PSB), que já figura em segundo lugar, superando o ex-prefeito cuiabano Wilson Santos (PSDB). A dúvida agora é se Silval vencerá no primeiro turno ou se enfrentará um páreo duro no segundo turno contra Mendes.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

PROPOSITURAS

Notícias relacionadas