Deputado cobra melhorias no fornecimento de energia elétrica à Energisa

Data:

Compartilhar:

Após reclamações de moradores e comerciantes sobre as constantes quedas, oscilações e falta de energia, em Rondonópolis, o deputado estadual Thiago Silva (MDB) cobrou através de requerimento e indicação n.º 4.980/2023 para que a Concessionária Energisa e o Governo de Mato Grosso possam tomar as providências sobre a problemática que afeta o dia-a-dia da população. Sem soluções, ele reforçou a reivindicação, nesta última quarta-feira (19), em sessão plenária da Assembleia Legislativa.

 

De acordo com o parlamentar, é preciso uma atenção maior da concessionária para resolver o fornecimento de energia na cidade da segunda na economia de Mato Grosso. “É inadmissível esse problema se arrastar há tanto tempo e não ter uma solução. Precisamos de uma resposta rápida. Se a subestação de energia existente não está suprindo as demandas, é preciso instalar uma outra para encerrar de vez, essas quedas de energia que afetam famílias, comerciantes e empresários. É uma falta de respeito com o cidadão que paga os seus impostos. A conta está chegando e vem cara”, explica o parlamentar.

 

O aposentado e proprietário de rancho na Rodovia do Peixe, Luiz Carlos Trassatte, diz que esse cenário em Rondonópolis já perdura há anos. Ele conta, que em 2015, a situação na região foi bastante crítica, com reclamações feitas diretamente à Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica), sendo que chegaram a ser indenizados e teve a manutenção na rede elétrica com cabos blindados entre o Km0 ao Km14”, recorda.

 

Trassatte, que atuou por 32 anos na área de energia elétrica, explica que era difícil tentarem enganá-lo e às reclamações eram feitas diretamente à Energisa. “Tivemos momentos em que a energia melhorou 100% e ficamos um ano com apenas três ocorrências. É preciso investimentos na rede, algo que não se faz há muito tempo, e uma manutenção corretiva constante. Não tem uma semana que não deixa de cair energia. O que falta para Rondonópolis, também são mais subestações, pois a cidade cresce e as linhas de distribuição se mantém as mesmas”, relata.

 

Para o despachante de trânsito e morador do Residencial São José, Emerson Fernandez da Silva, chegou a ficar 14 horas sem energia em sua residência. “É oscilação e falta mesmo de energia. Com esse calor, teve noites que fiquei sem dormir, pois não dava para ligar um ar condicionado ou ventilador. Há uns três meses que estamos assim. Já virou rotina, ter que ir dormir na casa de parentes, geladeira desliga e estraga alimentos e deixo o carro do lado de fora, pois o portão eletrônico não abre. Precisamos ter bem-estar e conforto”, reclama.

 

Segundo a dentista Anathielly Moresco, os equipamentos da clínica na Vila Aurora, não estão recebendo a energia suficiente para a execução dos trabalhos. “Já caiu bastante energia por aqui. Chegamos a desligar aparelhos de ar condicionado para conseguir atender os pacientes, pois percebo que a energia fornecida não comporta as demandas. Eu moro na Marechal Rondon e, lá, também tem quedas de energia”, explica a profissional.

 

Moradora do Residencial das Margaridas e assistente de transporte, Vanyelle de Souza Pereira, são muitos contratempos que vem enfrentando com a falta de energia. “Teve uma vez, eu com a minha avó idosa e minha filha pequena, ficamos sem energia 22h40 e só voltou no outro dia 10h45. Em menos de uma hora, estávamos sem energia novamente. De três meses para cá, estamos enfrentando esse absurdo. Tem amigas minhas, do bairro Antônio Fagundes e Sagrada Família que estão passando pela mesma situação. Realmente, é preciso resolver essa situação”, explica.

 

Thiago Silva destaca que se não tiverem um retorno breve, pretende abrir uma representação judicial para dar celeridade nas soluções quanto a situação caótica que os moradores enfrentam na cidade.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

PROPOSITURAS

Notícias relacionadas