Barranco critica discurso de Bolsonaro e diz que presidente será preso

Data:

Compartilhar:

Khayo Ribeiro/GD

O deputado estadual Valdir Barranco (PT) condenou o discurso proferido pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) durante Assembleia Geral das Nações Unidas. Na manhã desta quarta-feira (22), o parlamentar subiu o tom ao criticar a postura do chefe de Estado e disse que o mandatário será preso.

 

Os apontamentos do petista, proferidos no Jornal da CBN Cuiabá, foram realizados um dia após o discurso de Bolsonaro na ONU. No encontro internacional, o líder brasileiro distorceu dados sobre a pandemia, desmatamento, economia e corrupção. Por conta disso, o presidente foi amplamente questionado por especialistas.

 


 

Ao comentar sobre o caso, o deputado afirmou que esse tipo de posicionamento por parte do chefe do Executivo expõe o país e deixa a imagem do Brasil internacionalmente “arranhada”. Durante a entrevista, Barranco disse, inclusive, que o povo brasileiro não tem mais “buraco para enfiar a cabeça”.

 

“Ele fez um discurso ao inverso. Ele inverteu a imagem do Brasil. Foi a maior fake news que eu já vi esse discurso do Bolsonaro. Não é à toa que especialistas em todos os cenários que ele abordou se posicionaram e estão se posicionando contestando os dados que ele apresentou”, afirmou Barranco.

 

Um dos pontos mais debatidos do discurso do presidente girou em torno da corrupção. Segundo o presidente, desde que assumiu o comando do Palácio Alvorada, o Brasil não teve registro de sequer um caso de corrupção concreto. Ao falar sobre o discurso, o deputado não só rebateu presidente, como também disse que Bolsonaro é corrupto desde sua “gestação política”.

 

“Bolsonaro é corrupto desde sua gestação política. Só serviu 10 anos no Exército e se aposentou compulsoriamente porque ele se organizou para fazer um manifesto e colocar uma bomba dentro do Exército. Depois, quando ele entra para a política logo cedo, ele inaugurou esse negócio da ‘rachadinha’”, pontuou.

 

Outro ponto energicamente combatido pelo petista foi a fala do presidente sobre a covid-19. Barranco lembrou as mais de 590 mil mortes pela doença no país, citou o estado de emergência vivido em Manaus no auge da pandemia e disse que o chefe de Estado será responsabilizado por suas ações durante a crise sanitária.

 

“A CPI disse que além de apresentar a denúncia aqui no Brasil vai também encaminhar a denúncia para a corte internacional de Haia, para que ele possa ser julgado pelo genocídio que ele praticado aqui no Brasil. Sabemos que já aconteceu com outros presidentes, como Pinochet por exemplo. Então, o Bolsonaro é questão de tempo. Se não for preso enquanto estiver presidente, vai ser preso depois”, afirmou Valdir Barranco.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

PROPOSITURAS

Notícias relacionadas