95% da atividade econômica de MT está acontecendo com normalidade, diz Mendes

Data:

Compartilhar:

Thalyta Amaral/GD

O governador Mauro Mendes (DEM) afirmou que a economia de Mato Grosso vai bem, mesmo com a pandemia da covid-19. Em entrevista ao Canal Rural, o gestor afirmou que “95% da atividade econômica do estado está acontecendo com normalidade” e que apenas as atividades de menor impacto, como festas, shows e cinemas é que estão fechadas.

 

Na entrevista divulgada na segunda-feira (10), o governador falou sobre a “normalidade” na economia do Estado. “O comércio, indústrias e as cadeias do agronegócio estão funcionando”.

 

Ele enfatizou que a paralisação das atividades só deve ocorrer quando a ocupação das Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) estiver acima de 60% e variando a cada município, pois as realidades são diferentes.

 

“Estamos seguindo as recomendações da Organização Mundial da Saúde, que classifica a paralisação de acordo com a capacidade de atendimento de saúde de cada lugar. Então, se nós temos capacidades de atender às pessoas o nível de ocupação é baixo no estado, por que preciso fazer uma paralisação geral? Agora é fato, se o número de casos começar a crescer, nós vamos tomar novas medidas restritivas para diminuir essa curva de crescimento, e não ultrapassar a capacidade da saúde”, explicou o governador.

 

Sobre os prejuízos ao agronegócio, Mendes disse que a situação está estabilizada. “O agro está indo bem, a exportação de soja por exemplo, com preços em função do dólar está razoável também. Mas o mundo está passando por temores, de incerteza. O algodão, por exemplo, ninguém sabe como pode ficar. Grande parte da safra está vendida. A dúvida é: será que esses players vão honrar com esses contratos? Existe hoje um oceano de incertezas, uma incerteza maior ainda porque ninguém sabe a profundidade e as consequências na economia no Brasil e no mundo”.

 

Ele também negou que irá usar o Fundo de Habitação e Transporte (Fethab) para o combate à covid-19, mesmo com a recomendação do Tribunal de Contas do Estado (TCE) para essa ação.

 

“Já adianto que essa não será uma decisão que vai alcançar o governo de Mato Grosso. Eu não vejo legalidade nisso, porque o TCE não pode passar por cima de uma lei que claramente tem diretrizes sobre a aplicação desse dinheiro. O governo não vai tirar neste momento nenhum dinheiro da infraestrutura que tem origem do Fethab para investir em outro setor”, enfatizou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

PROPOSITURAS

Notícias relacionadas